quinta-feira, 11 de março de 2010

O beijo


Beijo

Já pensei em ser grande...
Mas nem sei quão grande quero ser
Já pensei em voar...
Mas na verdade tenho medo de altura
Já pensei em ser eterno...
Mas também já me senti cansado de viver
Já pensei em ser forte...
Mas me sinto tão fraco por muitas vezes

Já pensei em ir para a lua...
Mas e se não conseguir voar?
Já pensei em conhecer o fundo do amar...
Mas tenho medo de me afogar
Ate pensei em dar a volta ao mundo...
Mas só sei falar português
Já pensei em morar em um castelo...
Mas não tenho sangue real

Já pensei em tantas coisas, já sonhei tantos sonhos,
Queria ser, queria ter, queria poder, queria fazer...

Até que conheci você,
Que me olhou tão dentro dos olhos
Que me senti nu por dentro da alma
E em um beijo me levou
Á todos os lugares que queria ir ,
Fez-me grande e forte
Fez-me voar tão alto
Que quase fico sem ar nos pulmões
Levou-me a lugares tão profundos
Que jamais conseguiria ir sozinho
Viajei o mundo,
Conheci a lua sem tirar os pés do chão...
Que viajem, que sonho,
Que beijo.

terça-feira, 9 de março de 2010

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

segunda-feira, 8 de março de 2010


A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana.

A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo,
o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro.

O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se,
o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.
Vinícius de Moraes